Aranhas

Desinfestação
Aranhas


Ainda que Portugal seja dos países com menor número de espécies perigosas, existem algumas que oferecem perigo para o ser humano.
Geralmente n
ão são agressivas e as suas mordeduras e picadas são meramente defensivas. No entanto existem várias espécies venenosas no nosso país.
Em caso de infestação, peça um orçamento Desinfestação Aranhas gratuito. contacte-nos!
INFORMAÇÃO

Existem várias espécies de aranhas venenosas no nosso país, mas nenhuma é neurotóxica. O seu veneno é citotóxico, o que quer dizer que destrói apenas células e não o sistema nervoso central. 

Cuidados a ter na Presença Aranhas no Exterior:
Essencialmente, não mexer no seu habitat natural, que é debaixo das pedras. 
Usar meias e botas é uma boa precaução para evitar picadas nos pés.

São conhecidas perto de 800 espécies de aranhas no nosso país. Destas, apenas duas especies aranhas podem causar algum tipo de condição médica: a viúva-negra Mediterrânica (Latrodectus tredecimguttatus) e a aranha-violino (Loxosceles rufescens). 


IDENTIFICAÇÃO DE ARANHAS

    Latrodectus tredecimguttatus
               
Viúva-negra é o nome que se dá em
geral às aranhas do gênero 
Latrodectus,
de distribuição cosmopolita.

Alimenta-se principalmente de insectos
predando com frequência formigas e
coleópteros mas pode predar qualquer
pequeno animal que passe pela teia
como escorpiões, aranhas, isópodes,
centopeias, etc.

Não é particularmente agressiva, no
entanto está dotada de um veneno
potente quer para as suas presas,
quer para os seus potenciais inimigos. 

Em caso de picada, o efeito pode ser
muito variável e a própria aranha pode
injectar quantidades variáveis de veneno.
Os efeitos nos insectos são de paralesia, nos seres humanos pode provocar dor intensa, feridas no local da picada e contracção dos músculos.

         Loxosceles rufescens


As aranhas-violino 
apresentam
em geral coloração acinzentada
ou acastanhada, com uma marca
característica de cor acastanhada
em forma de violino no cefalotórax.
Possuem um potente veneno 
necrotizante (destrói os tecidos vivos)
que contém o agente dermonecrótico 
esfingomielinase D, o qual apenas se
encontra em aranhas desta família e
em algumas bactérias patogénicas.
Este veneno é capaz de causar a 
necrose de largas áreas da pele humana (áreas com até 25 mm de raio), sendo as feridas difíceis de sarar, podendo requerer enxertos de pele.
Em raras ocasiões, o veneno é transportado pela corrente sanguínea, podendo causar efeitos sistémicos.

 

    Pholcus phalangioides



Estas aranhas constroem teias 
irregulares e de aspecto imperfeito,
não adesivas, em geral simples
aglomerados de fios simples de seda 
lançados em diversas direcções.
Os locais preferidos para a construção
das teias são locais escuros e húmidos. 
Apesar desta preferência por lugares
húmidos e escuros, muitas espécies de
folcídeos são frequentemente encontradas
em locais quentes e secos, como janelas e cantos interiores de casas de habitação, sótãos e tectos.

             Lycosidae



É uma aranha nocturna e a maior
espécie de aranhas lobo é a Hogna Radiata.
As aranhas lobo mais comuns são muito mais pequenas que a Hogna Radiata, atingindo 
apenas 3 cm, enquanto que as Hona Radiatas chegam aos 10 cm.
Estas aranhas fazem pequenas tocas no chão,
tal como as tarântulas, e cobrem-nas com teias á entrada para poderem sentir a presa.
A picada ocorre só nas espécies Hogna, pois as Lycosa não mordem em animais maiores
que elas.
O veneno não é muito e apenas pode
causar pequenas tonturas e vontade de dormir e algum inchaço, já no caso de animais mais pequenos causa morte.

Peça um Orçamento Gratuito. Contacte-nos!

Newsletter
Subscreva a nossa newsletter
Continuar a navegar no nosso website implica a aceitação da nossa Política de Cookies - Saiba mais aqui